Urbanismo radical

Está no ar a Performa 11, mais uma edição do festival de performances de Nova York. São apresentações artísticas das mais variadas. Alguns exemplos? O coletivo israelense Public Movement vai encenar uma coreografia no Washington Square Park; uma performance xamanística será feita no Museo del Barrio; e o artista Tyler James Ashley vai conduzir exercícios inspirados no Construtivismo Russo em pleno Times Square [SS12 meets AW12?].

A curadora RoseLee Goldberg vê o evento como uma forma radical de urbanismo. E ela está certa. Na Performa de 2009 mais de 40 mil pessoas participaram e, segundo ela, os organizadores do evento prestam muita atenção neste movimento dos espectadores pela cidade. Desta vez, são 120 apresentações, a maioria delas de graça. Para mais detalhes, veja o site da Performa.



Comentar este post